Italo Calvino | Ponto Final



"Se hoje é impossível a quem quer que seja sentir-se inocente, se em qualquer coisa que alguém faça ou diga podemos descobrir uma motivação secreta, isto não deveria levar-nos a um sentimento de culpa universal nem a uma universal atitude de acusação. Quando nos apercebemos da nossa doença ou das nossas motivações secretas, começámos já a pô-las em crise. O que conta é o modo como aceitamos as nossas motivações e vivemos a sua crise. E esta é a única possibilidade que temos para nos tornarmos diferentes do que somos, isto é, o único modo de nos pormos a inventar um modo novo de ser."

Comentários

fallorca disse…
Ah, agora julgo compreender porque nos tens andado a «dar música» ;)
imo disse…
E também não há "uniexistências" :)
De "vacaciones"; em breve, volto.
fallorca disse…
boas férias
imo disse…
Obrigada :)